Apneia do sono: O que é e como tratar?

Atualizado: Jun 18



Roncar, parar de respirar ou engasgar durante a noite, podem ser um grande indicativo de apneia obstrutiva do sono. Mas mesmo que você não tenha, é muito provável que ao menos conheça alguém que tem. Isso acontece porque esse é um dos distúrbios do sono mais comuns. Pesquisas do Instituto do Sono indicam que na cidade de São Paulo, 32% das pessoas apresentam algum nível de apneia. Esse é um número alarmante, pois significa que uma a cada três pessoas tem essa doença!


A apneia do sono é uma doença causada por obstruções totais ou parciais à passagem de ar nas nossas vias aéreas superiores (na altura da garganta, mais ou menos). Todas as pessoas podem ter algumas obstruções dessas à noite, e isso pode ocorrer sem que qualquer problema ocorra. Contudo, a apneia do sono começa a ser um problema quando se observa ao menos cinco destas obstruções por hora (em casos graves pode-se observar mais de trinta obstruções por ora). São justamente essas obstruções que causam o ronco e os engasgos, as principais manifestações observáveis da apneia durante a noite.


Causas da apneia


Essas obstruções ocorrem por vários fatores. Primeiro, existe uma causa fisiológica: é normal que ao dormirmos, nossa musculatura fique cada vez mais fraca, principalmente no sono REM (chamamos isso de atonia muscular). Esse falta de força vale também para os músculos da garganta, fazendo com que ela fique mais sujeita a se fechar e obstruir. Contudo, essa atonia por si só não é suficiente para causar a apneia; note que isso é algo normal do sono e acontece em todas as pessoas. Para que a apneia ocorra, algum outro fator deve ocorrer, aumentando a chance de apneia. Alguns desses fatores são:


Obesidade: Pessoas acima de peso estão muito mais sujeitas à apneia do sono. Isso acontece por que nesses casos, o peso somado à falta de força muscular pode fazer com que as obstruções ocorram mais facilmente. Hoje se sabe que este é o principal fator de risco para apneia.


Gênero e hormônios: A apneia do sono é muito mais comum entre homens do que entre mulheres. Existem muitas causas para isso, mas uma boa explicação está nos hormônios femininos. A progesterona é um grande estimulante respiratórios, protegendo as mulheres da apneia durante sua vida adulta. Porém, é justamente isso que explica por que a apneia do sono acaba sendo mais comum nas mulheres após a menopausa: como esses hormônios não fazem mais efeito, a proteção que as mulheres tinham deixa de existir. Assim, as mulheres na menopausa têm chance de ter apneia quase igual a dos homens.


Envelhecimento: Quanto mais velhos somos, maior a chance de termos apneia. A principal causa é que o envelhecimento leva normalmente à diminuição de força muscular, fazendo com que essas obstruções ocorram mais facilmente.


Amídalas grandes: Em crianças a principal causa de apneia são amídalas aumentadas. Dependendo do tamanho, elas podem obstruir a passagem de ar, fazendo com que a apneia se manifeste.


Como essas paradas na respiração acontecem quando aprofundamos o sono e relaxamos os músculos, há apenas uma maneira de recobrarmos a respiração: acordando ou superficializando o sono, para que os músculos da respiração recobrem a sua força.


Passo a passo da noite de uma pessoa com apneia


Com isso, o sono da pessoa com apneia ao longo da noite acaba sendo muito fragmentado e superficial. Isso faz da apneia uma doença crônica: não é uma obstrução da respiração ou engasgo isolado que bota a vida da pessoa em risco, mas o fato de que isso ocorre ao longo de anos, sem que se saiba ou que se procure tratamento.


Sintomas da apneia


Com isso também costumam aparecer os principais sintomas da apneia. Os primeiros são comportamentais: por não dormirem bem, pessoas com apneia são muito sonolentas durante o dia, desatentas e fadigadas. Isso prejudica muito o desempenho profissional. Como exemplo, acidentes de trabalho e de carro são muito mais comuns em pessoas com apneia, justamente por que a pessoa é incapaz de se manter acordado e atento. Além destes, pessoas com apneia podem ter prejuízos de memória e mais chance de desenvolver depressão.


A apneia também afeta nossa saúde física! E um dos órgãos mais afetados é o coração. Pense que a cada vez que ocorre uma parada na respiração, nosso coração precisa trabalhar mais rápido e com mais força para usar o pouco oxigênio que resta. Com isso, ao longo da noite, o coração de uma pessoa com apneia não descansa! É justamente isso que explica por que a apneia causa hipertensão e aumenta a chance de termos um infarto, AVC e outros problemas cardiovasculares. E essa é apenas um entre uma lista enorme de problemas relacionados à apneia (que inclui, diabetes, problemas metabólicos, disfunção sexual, etc).


Tratamento da apneia

Se você tem ou conhece alguém que tenha apneia, procure tratamento o mais rápido possível! É muito comum que as pessoas não saibam ou não acreditem que têm apneia, por que isso ocorre justamente quando estão dormindo, mas se você já viu um amigo ou familiar roncando muito ou engasgando enquanto dorme, avise-o e encoraje-o a buscar tratamento.


A SleepUp certamente pode lhe ajudar nisso, principalmente na parte comportamental, garantindo que você tenha bons hábitos de sono e consiga diminuir os efeitos da sonolência. Contudo, no caso da apneia, o tratamento não pode se restringir ao nosso aplicativo. Você deve procurar um profissional ou serviço especializado para a Medicina do Sono. Existem várias opções para tratamento, mas apenas uma avaliação clínica adequada pode indicar o melhor caso para você!

#sleepup #sleepuphealth #sleep #sono #apneia


0 visualização

©2020 by SleepUp  | Todos os direitos reservados

  • LinkedIn
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram